Tecnologias no setor de segurança e proteção ajudam a salvar vidas
Autor: Ricardo Donner

Em um país onde a segurança do trabalho ainda apresenta dados alarmantes, novas tecnologias contribuem não só para reduzir os impactos econômicos na Previdência, mas também para salvar vidas. O Brasil é o quarto país em número de mortes por acidentes no trabalho, perdendo apenas para China, Estados Unidos e Rússia, segundo a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

De acordo com o Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, mantido pelo Ministério Público do Trabalho em cooperação com a OIT, uma pessoa morreu no trabalho no Brasil a cada quatro horas e meia em 2017. E um trabalhador se acidentou a cada 38 segundos.

Além disso, de 2012 a 2017, o país teve 1 milhão de acidentes de trabalho por ano, somando 305 milhões de dias de trabalho perdidos e resultando em R$ 26,2 bilhões de gastos previdenciários. No período houve 14.412 mortes acidentárias notificadas.

Nesse contexto, a inovação transforma-se em grande aliada de empresas e trabalhadores. Mesmo detalhes que podem parecer simples, como um uniforme mais maleável, um equipamento com fabricação diferente ou softwares com soluções criativas contribuem para estatísticas mais positivas no futuro.

Um dos exemplos é o Flex RipStop (estrutura de tecido para fardamentos militares com mais resistência) com elastano. O produto será lançado na Fisp pela Cedro Têxtil. “O elastano traz mobilidade para um tecido seguro, firme, que não vai rasgar, em que o militar ou profissional da área de segurança pode abaixar, levantar e correr com mais liberdade de movimento”, afirma Eduardo Silva, coordenador de comunicação da empresa.

A Conquista também aposta em um novo material para inovar na área de EPI contra quedas: o cinto Flex, que, ao invés de argolas metálicas, usa uma solução têxtil nos elementos de engate. “Trazemos uma quebra de paradigma que resolve vários problemas: menos peso e menor preço, além de minimizar a limitação dos metálicos, como corrosão e arco elétrico. A forma de fabricação deixa o elemento de engate dorsal e as laterais ‘armados’, facilitando o acesso e a conexão do componente de união”, destaca Marcos Amazonas, diretor de vendas técnicas da companhia.

Softwares

Softwares inovadores também têm sido grandes aliados na segurança do trabalhador. A Nexo CS vai apresentar o Nexo Prevenção de Riscos, que permite integração de sistema, configuração e adequação conforme o cliente. “É uma solução voltada para empresas que possuem necessidade de gerenciamento de riscos relacionados ao trabalho, especialmente as expostas a riscos na sua atividade”, ressalta o presidente Ricardo Donner.

O Nexo Prevenção de Riscos permite que os próprios funcionários colaborem, informando possíveis riscos/desvios no dia a dia através de um APP mobile (disponível para iOS e Android) que alimenta em tempo real o painel de controle do Departamento de Segurança do Trabalho da empresa.

Ainda na área de Tecnologia da Informação, a gestão de dados se mostra essencial para a análise de riscos e, consequentemente, ações de prevenção. Pensando nisso, a Laepi oferece o Portal Consulta PA, site para consulta de todos os protetores auriculares no Brasil que possuem CA (Certificado de Aprovação). O sistema permite busca e comparação dos equipamentos. “O acesso é gratuito e a consulta é livre, voltada para as indústrias, profissionais e consultores na área de segurança do trabalho”, diz Rafael Nagi Cruz Gerges, diretor técnico da empresa.

Fonte: http://tiinside.com.br/tiinside/seguranca/mercado-seguranca/28/09/2018/tecnologias-no-setor-de-seguranca-e-protecao-de-dados-ajudam-a-salvar-vidas

Sobre o autor

Comentários estão fechados

USASpainBrazil