eSocial X gestão da segurança do trabalho – a importância da gestão, independente do eSocial

gestão SESMT

O eSocial é um projeto bem ambicioso, elaborado pelo Governo Federal, para diminuir a burocracia do envio de informações por parte do empregador, facilitando a sua vida. Além disso, também garante que o profissional tenha os seus direitos respeitados e cuidados. Ou seja, é uma forma de garantir a gestão da segurança do trabalho dos colaboradores. Neste artigo, você vai entender porque isso tudo é importante, independente dos rumos do eSocial.

QUAIS SÃO OS OBJETIVOS DO ESOCIAL?

No seu âmago, o eSocial é uma medida puramente administrativa. Ele não traz absolutamente nada de novo, apenas muda a forma como as informações sobre das empresas são enviadas.

Enquanto seu objetivo maior é garantir que os trabalhadores tenham suas informações trabalhistas e previdenciárias respeitadas, o empregador é na verdade o maior beneficiado.

Na prática, o eSocial traz formas de simplificar o envio destas informações. Isso é feito reduzindo a burocracia envolvida neste processo, além de unificar todos os dados em um único sistema. Isso possibilita uma gestão simplificada.

Ou seja, mesmo que sejam enviadas todas as informações de forma completa, isso é feito de uma maneira mais fácil e menos dolorosa para o gestor.

Excelente, não é? Todo mundo ganha: empregadores e colaboradores!

COMO FICA A FISCALIZAÇÃO NO ESOCIAL?

Então, o eSocial não cria nada novo. Ele apenas muda a forma como as informações são entregues, o que significa que também acaba mudando a fiscalização. Este tema é preocupante a princípio, mas é bem simples.

Com este modelo, os órgãos fiscalizadores são informados praticamente em tempo real sobre tudo que ocorre nos ambientes de trabalho e entre os profissionais que fazem parte desta relação.

Este é mais um ponto positivo desta implementação, porque o próprio sistema ajuda o gestor a enviar as informações. Assim, diminui a incidência de informações e interações erradas.

Por exemplo, se a empresa tentar incluir  um novo empregado que ainda não tenha feito o exame médico, o sistema já rejeita o envio automaticamente. Ou seja, como os eventos se comunicam, fica mais fácil detectar qualquer erro que a empresa possa ter cometido.

Assim, a empresa não enfrenta problemas com a fiscalização, que ainda existe, podendo corrigir os erros antes que os mesmos se agravem. Por isso, acaba também sendo uma ferramenta importante de gestão ocupacional.

Porém, este conceito é fundamental e deve ir muito além do eSocial.

O QUE É GESTÃO DE SST (SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO)?

O eSocial é uma ferramenta burocrática, que tem um pequeno impacto na gestão ocupacional da sua empresa. Enquanto o primeiro ajuda a economizar tempo, o segundo ajuda os profissionais a estarem na melhor proteção com riscos do trabalho, garantindo que a sua empresa também tenha o compliance adequado.

Por isso, este conceito visa buscar o bem-estar, a saúde e a segurança do profissional da empresa. Isso significa fazer um mapeamento, o mais detalhado possível, de todos os possíveis riscos para preservar estas características acima.

É claro que alguns pontos são óbvios, mas extremamente importantes. Os equipamentos de proteção individual, por exemplo, são essenciais para situações de risco. A ergonomia é outro conceito importante que ajuda o profissional a manter a sua postura.

Enfim, são inúmeras disciplinas que ajudam a manter a segurança no ambiente de trabalho. Quer conhecer mais cada uma delas? É só assinar a nossa newsletter para não perder nenhum post!

A IMPORTÂNCIA DA GESTÃO

Por isso que a gestão da segurança ocupacional é tão importante para o ambiente de trabalho. De um ponto de vista superficial, esta preocupação diminui os custos e a margem de erro dentro das empresas. Ou seja, são menos gastos com problemas resultantes da falta de segurança.

Existe outra forma de observar este problema. Receber processos por conta da segurança da empresa pode acabar com a sua reputação no mercado, diminuindo a presença de bons funcionários na sua empresa, além de ficar mal visto pelos colaboradores e clientes.

Mas o principal e mais impactante benefício é a própria saúde dos funcionários. Um profissional que trabalha em um ambiente seguro e que se preocupe com o seu bem-estar tem uma produtividade muito maior.

Mesmo que ele nunca sofra um acidente, a preocupação de estar em um ambiente desconfortável pode deixá-lo insatisfeito ou tirar a sua concentração no momento de trabalhar. Esta relação é bem lógica e evidente. Um profissional tranquilo e seguro trabalha muito melhor.

Por isso, o verdadeiro potencial e retorno da gestão ocupacional é intangível, porque é praticamente impossível de medir. É um benefício que vai muito além do eSocial.

COMO IMPLEMENTAR A GESTÃO?

Implementar a gestão de segurança ocupacional não é um processo difícil. O mais importante é que você tenha o máximo de informação possível.

Primeiro, em relação à saúde dos funcionários. É preciso fazer todos os exames periódicos no momento em que eles forem necessários, sem deixar a frequência passar. Com isso, você entende o histórico de saúde e a possibilidade do desenvolvimento de certas doenças.

Evidentemente, conhecer a saúde dos profissionais é o primeiro passo para preservá-la.

Também é importante conhecer a outra ponta. Ou seja, o ambiente de trabalho e os fatores de risco que ele apresenta. É preciso conhecer desde os maiores fatores, até os menores.

Por exemplo, quais são as principais causas de afastamentos? Existe treinamento de segurança? Estas e diversas outras perguntas precisam de resposta.

É claro que também é preciso ter uma forma de controlar estas informações. Por isso, contar com sistema que irá armazená-las é importante. Este também pode ajudar a fazer o controle de datas de exame e até promover uma integração com o eSocial.

Porém, enquanto o apoio tecnológico é essencial, o mais importante é a mudança cultural. É preciso criar uma cultura de apoio ao colaborador. Um caminho é implementar um programa e uma política de gestão de segurança ocupacional.

Logo, independente do rumo que o eSocial tome, a gestão ocupacional deve fazer parte do DNA de qualquer empresa. O software usado para tal fim é apenas uma ferramenta, que ajuda muito os gestores a economizarem tempo e ganhar em agilidade.

A gestão ocupacional permite trazer mudanças que irão afetar diretamente a produtividade e os ganhos da sua empresa.

Por isso, independente dos eventos do eSocial, o importante é o profissional de SESMT pensar na gestão das informações de SST; se concentrar apenas no eSocial, desconsiderando a importância desta gestão não é bom nem para o profissional do SESMT e nem para a empresa!

Quer conhecer tudo sobre a gestão de segurança ocupacional, então, continue lendo os artigos no nosso blog e entenda tudo sobre este vasto assunto.

BrazilSpainUSA